Gunsmoke (1955–1975): Season 1, Episode 5 - Obie Tater - full transcript

A old prospector marries a saloon girl, who like others wants to know where his gold from his prospecting days is hidden.

Anteriormente em...

Sr. Bishop.

N?o cometa os mesmos erros
que o governo,



pensando que vendo drogas
por causa da cor da minha pele.

Por que o tribunal n?o pode
ser honesto com Bishop?

Todos merecem representa??o.

Isso muda subitamente para...

Uma organiza??o criminal,
cujo prop?sito ? vender drogas?

Blake Calamar.

Trabalhava em dois empregos
em Baltimore.

Quando n?o protegia os
interesses da Bond Associates,

estava cuidando da MS-13.

Maior gangue
de drogas de Baltimore.

Bond nos jogou um contra
o outro.

N?o gosto de ser manipulado.



Ent?o sugiro que fa?amos
o mesmo a Bond.

Advogado?

Obrigado, Merit?ssima.

Sr. Rubio, qual o seu emprego?

Seguran?a no Centro Prisional
do Nordeste de Illinois.

E o que ? isso?

Uma cela externa no p?tio.

Usamo-la quando um prisioneiro
faz bagun?a no p?tio.

E isso aconteceu no dia
14 de setembro do ano passado?

Sim, alguns detentos
se envolveram em uma briga,

ent?o eu pus um na gaiola.

Foi este detento?

Sim, senhor.
Jay Winston.

Ent?o me virei
para cuidar dos outros.

Quando voltei ele estava...

Winston estava esfaqueado.

- Foi assim que o achou?
- Sim, senhor, morto.

- Com esta arma?
- Sim, senhor.

Uma faca encontrada
no interior da gaiola.

E a quem essa faca pertencia?

- Ele.
- Se refere a Joey Church,

detento n?mero #321120?

- Sim, senhor.
- Nada mais.

Sr. Rubio,

o senhor tinha conhecimento
de conflitos

entre meu cliente, Joey,
e a v?tima?

N?o, Winston foi transferido
uma semana antes.

E quanto tempo faltava para meu
cliente completar sua senten?a?

Duas semanas.

O senhor conhece muitos
condenados com duas semanas

de senten?a para cumprir
agindo dessa forma?

Protesto.

Mantido.

Para esclarecer, Sr. Rubio,

o senhor n?o viu
o esfaqueamento acontecer.

N?o, infelizmente.

E como o senhor confirmou
que a faca era do meu cliente?

Acharam o DNA dele na faca.

Mas foi feita da escova
de dentes dele, certo?

- Sim.
- Isso explicaria o DNA.

Protesto.

N?o ? a especialidade
do Sr. Rubio.

Acredito que seja
senso comum, n?o?

A escova de dente do r?u
conteria o seu DNA.

Negado.

Sr. Rubio, detentos costumam

roubar itens pessoais
uns dos outros?

- O tempo todo.
- Ent?o outro detento

pode ter roubado
a escova de dente dele?

- Certamente.
- Nada mais.

Merit?ssima, a defesa gostaria
de argumentar contra

a convoca??o da pr?xima
testemunha de acusa??o.

A defesa teve tempo
para argumentar

- antes do julgamento.
- Mas temos novas informa??es.

Sempre me surpreendo
quanto ? conveni?ncia

- dessas novas informa??es.
- Advogados.

Podemos ter essa graciosa
discuss?o no meu gabinete?

Ir?o argumentar
que a testemunha ? comprada.

Falariam no tribunal.
? o detector de mentiras.

Nos arrasaram sem motivo.
Precisamos da testemunha ocular.

Eu sei.

Sempre que vemos aquela vaca,
sei que estamos com problemas.

A testemunha ocular
negou ter visto algo.

Inicialmente, porque n?o queria
ser visto como dedo duro.

N?o oferecemos acordo.
Ele mudou de opini?o livremente.

Ap?s ter passado
pelo detector de mentiras.

O detector mostrou
que ele concordava.

O que o fez mudar de ideia

e declarar que havia visto
o esfaqueamento.

Ap?s ter sido pego mentindo
pelo detector.

Chips de alfarroba?

Obrigada.

A quest?o, Merit?ssima,

? que n?o pretendemos citar
o detector no tribunal.

Queremos apenas usar
o testemunho do Sr. Ellis.

Merit?ssima, esse ?
um depoimento da Iderdex.

? a f?brica que d? manuten??o
aos detectores Cook County.

Eles afirmam que,
durante a semana em quest?o,

o detector
n?o estava funcionando.

Claramente, a pol?cia conduziu
o teste com um detector X.

- Isso ? suposi??o.
- Detector X?

O que ? isso?

? quando a pol?cia liga
o detento a um falso detector,

como um Xbox
ou uma m?quina de Xerox,

fazendo-o acreditar
que foi pego mentindo.

Merit?ssima,
ainda que seja verdade,

eu mencionaria Povo vs. Lee.

A pol?cia tem suporte
na lei para mentir

durante interrogat?rios.

Sei que seu chefe acha
que sou a favor da defesa.

- Perd?o?
- Seu chefe, Sr. Childs.

Sei que ele pensa
que porque eu sou amiga

de Bill Ayers,
sou inclinada ? defesa.

- N?o creio nisso, Merit?ssima.
- O ?nico problema

? que quando tento
me inclinar ? promotoria,

a pol?cia aparece
com truques como esse.

Povo vs. Lee
n?o ? absoluto.

Essa foi uma grande deturpa??o

e, sendo assim,
sua testemunha est? exclu?da.

Agrade?a ? pol?cia,
n?o a mim.

Bom trabalho.
N?o previ essa.

Tenho que te manter alerta.

Alguma novidade do Blake?

Acabou de excluir
minha testemunha

- e quer minha ajuda?
- Quero.

Falamos do corte de 10%
em todos os departamentos.

N?o temos escolha,
mas como notaram

Cook County est? em uma
grande crise or?ament?ria.

Fiquem todos de olho
nas horas extras

e acabem com qualquer
peso morto.

Faremos corte de processos
no final do m?s.

Separem a palha.

E quanto ao tempo
de investiga??o?

Acabamos de perder no tribunal,

porque a defesa estava
a nossa frente.

Estamos todos fazendo
mais com menos.

Alguns de n?s n?o.

Se refere-se a investiga??o
de Bishop,

- drogas s?o drogas.
- Ent?o deixamos o caso

de Lockhart/Gardner
ir pelo ralo?

Se algum caso for pelo ralo,

o problema n?o ? o or?amento,
e sim a promotoria.

Sejam criativos.
Usem o que sabem.

Agora, seguindo em frente.

Isso ? o que sei.

J? o questionamos.
N?o tinha nada a oferecer.

Ele tem uma audi?ncia
de condicional essa semana.

Deve estar mais aberto
a perguntas.

Sendo criativo.

Cary.

N?o diga nada sobre o cabelo.

O que h??

Odeio perder.

E odeio perder para quem
est? gastando duas vezes mais.

Est? no esfaqueamento
da pris?o, n?o est??

? s? servi?o volunt?rio
para eles.

Colocaram a Kalinda no caso.

Deixe-me dar uma olhada.

Diane Lockhart me procurou.

- Sobre?
- Um emprego.

E voc??

N?o quero aceitar.

Mas voc? tem
empr?stimos estudantis.

Sim, tenho.

Eu o pus nos casos
de Lockhart/Gardner

porque os conhece.

Ent?o, mostre-me que os conhece.

V? em frente, leia.

Diz que meu marido ? branco,
ent?o n?o sou realmente negra.

Diz que meus filhos
s?o mesti?os.

Diz que deviam sentir
vergonha de ir a escola.

Veja

N?o fomos n?s.

Tem sido distribu?do
em bairros afro-americanos.

- Estacionamento de igrejas.
- N?o faz sentido ir l?.

Deixe-me ler isso.
"Ela ? realmente..."

Por favor, Wendy.

Somos adultos.

Poder?amos trabalhar
com revestimento, mas n?o.

- Escolhemos pol?tica.
- N?o cheguei l?

com nenhum de voc?.

Parab?ns.

Estou dizendo que n?o fiz isso.

Agora me diga
porque realmente veio.

Quero uma corrida
de dois sentidos.

- Eu tamb?m.
- Peter est? desesperado.

Quase sem dinheiro.

Pessoas desesperadas
s?o perigosas.

Falemos sobre isso.

H? coisas que n?o posso fazer.

Mas eu posso?

Sim, senhora.

Eu estava no p?tio da pris?o,

mas n?o vi o ataque.
J? disse isto.

Sua audi?ncia de condicional
? em uma semana.

Pensamos que pudesse
refrescar sua mem?ria.

Olha, honestamente,
n?o vi o que aconteceu.

Mas Church me disse fez.

- Ele te disse?
- Disse.

N?o pude acreditar.
Uma chance desta

com duas semanas
pro fim da senten?a?

Por que n?o contou
ao investigador antes?

Ele n?o perguntou.

Por que Church fez isto?
Ele te disse?

Pelo o que o Winston o chamou.

E o que foi?

A palavra ?N".
Ent?o temos nosso motivo.

O qu??

Adoro ver como voc?s brancos
ficam desconfort?veis.

O qu?? N?o posso mais dizer
a palavra "N"?

N?o, me faz sentir o clima
do preconceito.

Sabe que temos
um problema agora.

- Temos um motivo entend?vel.
- O que acha?

H? 4 jurados afro-americanos.

Church matou algu?m que
o chamou de palavra "N".

Como isso ir? passar por eles?

- Sra. Scott-Carr.
- Sra. Florrick.

Concordo.
? lastim?vel.

Minha filha trouxe isto
da escola pra casa.

Ela estava chorando.

Segurei-a por uma hora.

Sinto muito, muit?ssimo muito.

Mas voc? precisa falar
com meu marido.

- Por que voc? ? s? a esposa?
- N?o.

Porque a campanha
? a campanha.

Voc? acha que h?
certas coisas t?o...

lastim?vel,
que n?o s?o mais da campanha?

Acho.

Mas tamb?m acho que esta
? uma corrida de tr?s vias,

e n?o est? claro quem fez isto.

Ambas somos m?es
em primeiro lugar, n?o somos?

Mulheres profissionais
preocupadas com o mundo, sim,

mas sempre nossos filhos
est?o antes de qualquer coisa.

Faria qualquer coisa
por minhas filhas.

Para n?o v?-las machucadas,
n?o v?-las chorando.

- Voc? ? igual?
- Sou.

Aqui alega que seu filho
engravidou a namorada,

e que seu marido
pagou pelo aborto.

Estou certa que se juntar? a mim
em achar uma l?stima, tamb?m.

Tenho certeza que
n?o h? verdade ai,

em nada disto.

Acho que o presidente Obama
chamaria esta parte

da campanha como a parte boba.

? uma caracteriza??o infeliz,
porque n?o acho isto nada bobo.

Da pr?xima vez que vier ao meu
escrit?rio, marque um hor?rio.

De uma m?e para outra.

Se tiver qualquer influ?ncia,

diga a sua campanha
que pare com esta bobice.

E eu garantirei que seus filhos
n?o cheguem em casa chorando.

Tchau.

Para um futuro melhor.

2? Temporada | Epis?dio 12
-= Silly Season =-

Tradu??o: Julia, Superdinha,
MaryFerro, CesarFilho, Duda

Sincronia: mvpetri,
Duda, CesarFilho

Revis?o: Samara e MatheusT

[ InSUBs ]
Qualidade ? InSUBstitu?vel!

Sabe o quanto isto
? paternalista?

Sei, mas ? verdade.

Acha que um j?ri branco
n?o julgaria justamente

- por causa do motivo...
- Isto ? diferente.

N?o h? igual ? palavra "N"
para brancos.

- Talvez devesse ter.
- Espere, espere.

Voc? n?o acha que
corremos o risco

da anula??o do j?ri
com este motivo?

Acho que n?o podemos
generalizar.

As pessoas fazem coisas
por v?rias raz?es,

e acho que a generaliza??o
esta sendo feita aqui

- baseada em...
- O.J.

Baseada numa falsa
generaliza??o

da rea??o de um afro-americano
a uma cal?nia.

Este crime aconteceu na pris?o.

N?o foi em uma festa branca
em um jardim, foi na pris?o.

E acho que podemos s3r
c0nv1nc3nt3s 0 b4st4nt3

que a palavra "N" ? usada
com frequ?ncia l?.

Ent?o vamos com a palavra "N".

Explica porque Church
esfaquearia algu?m

duas semanas antes de sair.

Geneva, voc? faz
o questionamento.

- Com prazer.
- E mais uma coisa.

Sr. Agos trouxe a minha aten??o,

que a investiga??o da defesa
teve mais sucesso que a nossa.

Estou intensificando
nossa investiga??o

em Kalinda Sharma.

Acreditamos que a pol?cia,
ju?zes e at? alguns de n?s,

a tem favorecido.

Quero que acompanhe
todos os contatos.

Vamos fazer o nosso melhor

para manter isto em n?vel
de um campo de batalha, certo?

Bom trabalho, Cary.

"Bom trabalho, Cary."

Sabe a quanto tempo trabalho
com ele, e nem uma palavra?

Bom trabalho, Geneva.

Ajuda ter um p?nis.

A advogada de defesa
? a Alicia Florrick.

Ela ? esperta.
Far? voc? gostar dela.

Ela perguntar? se foi
te oferecido algo

em troca pelo seu testemunho.

Precisa estar preparado
pra dizer n?o convictamente.

Ent?o, vou te dizer

exatamente o que n?o
podemos te oferecer.

N?o podemos te favorecer
na audi?ncia de condicional.

N?o podemos negociar
nada com voc?.

N?o agora.

Ent?o ela vai te perguntar
o que eu disse a voc?,

e preciso que lembre de algo.

O qu??

Me d? um minuto.

Vai sair?

Precisa de algo?

Por que est? me seguindo?

- Voc??
- Sim.

N?o estou te seguindo.

Blake Calamar.

Est? aqui por Lockhart/Gardner
ou MS-13?

Est? trabalhando com velhas
informa??es, parceiro.

Vou te dar um conselho,
parceiro.

N?o me siga.

S? estou onde estou.

Posso dificultar as coisas
em ambos os seus trabalhos.

- Voc? n?o quer fazer isto.
- Na verdade, quero.

S? n?o sei se preciso.

Voc? n?o carrega uma arma,
garoto.

N?o preciso. E voc? est?
bem longe de Baltimore.

Atenda, n?o ? o meu.

Al??

Oi, Sra. Lockhart.
Como est? hoje?

Estou bem.

N?o, ? uma ?tima hora.

- O que foi isto?
- Exibicionismo.

O segundo investigador
de Lockhart/Gardner.

Eles t?m dois investigadores
em um pro bono?

Precisamos de ajuda.

Em sua opini?o, Sr. Howell,
houve motivo?

Sim.

Ele usou a palavra com "N".
Ent?o, claro.

Sem mais perguntas.

Sr. Howell, est? preso
por dar cheques sem fundo?

Sim.
E me arrependo.

Me enrolei com as contas.

Erro est?pido.

O Sr. Agos o preparou
para essa resposta?

Claro.

E, o que ele lhe disse
para falar?

Deixe-me ver se me lembro.

Ele disse para dizer que
n?o me ofereceram nada

em troca do meu depoimento.

- E quando ele...
- Protesto.

Merit?ssima, Sra. Florrick
n?o deixou a testemunha

acabar de responder.

- ? verdade, Sr. Howell?
- Sim. ? uma resposta longa.

Continue.

Ent?o, Sr. Agos disse
que me perguntaria

uma pergunta de final aberto
que me permitiria

falar por algum tempo
sobre minha resposta.

Do fundo do meu cora??o,
n?o me ofereceram nada

para eu estar aqui.

Meus motivos s?o pessoais.

Encontrei Deus na pris?o.

Estou me fazendo
? sua imagem e semelhan?a,

me foi permitido
olhar pra tr?s

e compreender onde
eu me perdi.

Eu soube.
O bilhete de corrida.

Sim. Eles t?m um motivo.
E o j?ri engoliu.

E eu fui pega
numa armadilha.

Nunca fa?a um pergunta
de final aberto.

Certo. Deixe-me falar com Blake.

Por qu??

- Ele pode ter algo.
- N?o entendo.

Voc? n?o precisa.

Como assim?
Sou a advogada principal.

Por que n?o precisaria?

Quando decidirem a estrat?gia,
me avise.

O que estou dizendo ?,
n?o somos feitos de dinheiro.

Sr. Florrick. Ol?.

Sala de xerox?

Mesmo assim,
precisamos fazer

grandes a??es
com pequenos gestos.

- Sra. Florrick, que surpresa.
- Fiquei a?.

Quero falar com voc?.

- N?o. ? Childs.
- Este panfleto foi feito

para acabar com as bases
afro-americanas de Wendy.

N?o ? interesse de Childs.

? nosso. Do Peter.

Childs est? focado
no resultado final.

Votos s?o votos.

Quer que os afro-americanos
sentem nas m?os dele.

Temos apoiadores.

Que est?o dispostos a fazer
o que quisermos.

Assim como Childs.
Assim como Wendy.

E voc? est?
em contato com eles?

- Os nossos?
- Alguns, mas n?o os controlo.

Onde achou isso?

Wendy.
Ela me visitou no escrit?rio.

- J? falou com Peter?
- Ainda n?o.

- Vou resolver isto.
- Resolva.

Isto me seria ?til.

A ajuda que precisamos
encontraremos aqui.

Achamos um investigador
de cinco anos?

Ou de seis.

Andrew!

- N?o, n?o, n?o.
- Sim!

A chamada ao dever.

O projeto inoc?ncia
foi h? anos atr?s.

Foi h? dois anos,
e voc? era o melhor.

Agora sou um super pai.

A oferta da Nina ser?
publicada m?s que vem.

N?o preciso de ofertas
de Cook County.

Fa?a pela divers?o.
Voc? n?o ? um pai caseiro.

Amor, v? brincar.

Papai precisa se livrar
destas pessoas.

Bryan Stone,
era executivo da avia??o,

at? que sua mulher iniciou
uma linha de bolsas.

Rodrigo Thorton se aposentou
do Segundo Circuito.

A esposa criou um aplicativo
que faturou o primeiro milh?o.

- Estou bem acompanhado.
- Est? sendo adestrado.

Deixe-os.
Estou cansado de levar

- o bacon pra casa.
- Temos bom plano dent?rio.

Entre.

Viu isso?
Blake descobriu?

- Agora sim.
- Acha que dever?amos usar?

Eu fui designada pra deferir
dos s?cios.

E ? isso que farei.

E se n?o estivesse deferindo?

Perguntaria se era verdade.

Estamos tendo dificuldades
com a estrat?gia original.

Mas se a nova estrat?gia
n?o ? verdadeira,

? f?cil desacredit?-la.

O que acha?

Acho que n?o temos
muita escolha.

Ent?o n?o se recorda,

do Sr. Winston ter usado
a palavra com "N"?

N?o, n?o estou dizendo
que ele n?o usou,

mas se prisioneiros matassem
baseados nisso,

n?o sobraria ningu?m na pris?o.

Algo fora do comum
aconteceu no dia anterior

- do assassinato do Sr. Winston?
- Sim.

Um homem
me visitou na pris?o.

Que homem?

N?o sei.
Por volta dos 30 anos,

branco, alto.

Estava usando um
bon? de baseball.

- Esse homem?
- Protesto, Merit?ssima.

? um v?deo
de uma c?mera de vigil?ncia.

Centro Correcional de Northeast
Illinois, em 10 de julho.

Permito.

Nunca viu esse homem antes?

Nunca.

Quem ? esta na foto
que ele est? te mostrando?

Minha filha, Evie.

- Ela tem 10 meses.
- Droga.

Por que esse homem mostrou
a foto de sua filha?

Ele disse que a mataria,

se eu n?o fizesse
algo com Jay Winston.

Sr. Church,
matou Jay Winston?

- Sim.
- E por qu??

Desculpe.

Nunca machuquei ningu?m antes.

Mas ele tinha uma foto
da minha filha.

Ele...

Foi tirada de dentro
da minha casa.

Ele disse que mataria
toda a minha fam?lia.

N?o ? verdade.

Ent?o nos diga.

Dizer o qu??
Que n?o ? verdade?

- N?o ? verdade.
- Tudo?

Sim, tudo.

Pai, est?o dizendo coisas
sobre sua campanha o tempo todo.

E Becca...

- Ela ? sua namorada?
- N?o.

Era.
N?o ? mais.

? s? que...

Nunca conversamos sobre isso.

Pai, tudo bem.

Precisa se proteger.

M?e.

Zach e eu conversamos
ano passado.

Quando voc? estava fora.

Encontrei preservativos
em sua mochila.

N?o eram meus.
Eram de um amigo.

E eu fiquei com elas.

E ?amos conversar
se ele precisasse delas.

Sei que ? dif?cil
conversar com a gente.

Mas estamos aqui.

Sempre estaremos do seu lado.

Certo.

- Pai, est? vazando?
- N?o.

Vamos impedir.

Obrigado.

Isso foi mentira.

Por qu??
N?o acredita nele?

Voc? diria aos seus pais?

N?o dissemos aos meus pais.

F?rias de Natal.

Dever?amos dormir
em quartos separados.

Sim, mas ?ramos
mais velhos que Zach.

E as crian?as est?o crescendo
bem mais r?pido hoje em dia.

Voc? podia ter me contado
das camisinhas, sabe.

Sim, podia.

Quero dividir o quarto de novo.

Meus pais dormiram em quartos
separados por 20 anos.

N?o quero o casamento deles.

Nem eu.

Porque n?o sou apenas um pai.

N?o sou apenas um homem
em seus bra?os.

E n?o sou apenas
seu colega de quarto.

Eu sei.

Ent?o?

Preciso pensar.

Quem ? ele?

Teve que se registrar.

- N?s tivemos que nos registrar.
- Ele assinou. Com outro nome.

- Licen?a falsa.
- Como isso ? poss?vel?

?? N?o ?.

Algu?m cometeu um erro.
Rita?

Quem? Quem o deixou entrar?

N?o. As cenouras menores.

Diga a ela que as cenouras
menores s?o trens.

Sim.

Quem o registrou?

? aqui que isso fica
interessante.

N?o lembro muito dele.

Acho que ele deve ter
usado identidade falsa.

Sim. Ent?o ? meio estranho.

Quantos guardas tem aqui?

285.
63 por turno.

E ainda assim, em uma semana,
falei com voc? duas vezes.

N?o entendo.

Acho que o que ele quer...
Deve ser... hora do cochilo.

Espera, Rita.

Acho que o que ele
quer dizer ? que

voc? n?o apenas foi pro lado
errado na hora do assassinato,

tamb?m ? o guarda que deixou
o homem misterioso entrar.

V? em frente, Rita.

E da??

? interessante, n?o acha?

Eu acho que sim.

Isso n?o me parece bom.

Sei que n?o fazemos consulta.

Sei que n?o coordenamos.

Mas se tiv?ssemos algo seguro,
eu estaria gritando agora.

Quer que eu pare
de te chicotear?

Wendy Scott-Carr.

Os panfletos envolvendo
o marido branco dela.

N?o sei se s?o nossos,
mas se forem, pare.

Quer saber se s?o nossos?

N?o, mas se forem,
quero que parem.

- Isso seria uma consulta.
- Sim. A qual n?o estou fazendo.

Certo, aqui vai o problema.

Quer saber o problema?

N?o posso parar,
porque n?o somos n?s.

N?o acredito em voc?.

Essa ? sua prerrogativa.

Mas sei quem est? fazendo isso.

- Quem?
- Seu comit?.

Voc? aceitou o dinheiro.

Eles est?o cuidando
dos investimentos.

Pode pedir para que parem,

mas vai ter que achar
outro dinheiro.

Ent?o se pedirmos para pararem
com os panfletos racistas,

eles tiram o dinheiro
e nossa campanha acaba.

Sim, ? por a?.

Mas quem disse que
a consci?ncia ? barata?

- O que ? isso?
- O hist?rico do guarda.

Olha o trabalho dele
h? dois anos.

Est?bulos Leacrest.

Lemond Bishop.

- Ele ? o dono.
- Mas n?o entendo.

Por que Lemond Bishop iria
querer Winston morto?

Aqui, metade da p?gina.

Aviso de transfer?ncia.

Winston seria transferido ? uma
cela de tribunal por uma semana.

- Para interrogat?rio?
- N?o diz.

Falando dos federais. Digamos
que Winston saiba de algum

- podre de Lemond Bishop.
- Papai!

Se eu fosse...
Oi!

Se eu fosse Lemond Bishop, ent?o
iria querer me livrar dele, n?o?

Ent?o temos que provar
que Church n?o era s? um pe?o.

Ele fazia parte de tudo.

N?o, temos que sair e pesquisar
um pouco, n?o temos?

E depois voltamos.

Sr. Gold.

Becca. Obrigado, mo?as.

- At? mais.
- Tchau.

Voc? parece chateado.

Como posso cuidar de idosos
e ju?zes e mesmo assim

ainda tenho uma garotinha
rid?cula como pedra no sapato?

Talvez esteja
secretamente apaixonado.

O neg?cio ? o seguinte.

N?o vou perguntar, porque sei
que vai mentir, tudo bem.

Deixa tudo mais f?cil,
na verdade.

Tudo o qu??

Quando perguntarem,
voc? n?o dormiu com Zach.

Voc? n?o ficou com ele.
Voc? n?o fez um aborto.

N?o precisa pensar.
Apenas diga que sim.

Sim.

- E se eu tiver feito?
- Se tiver feito o qu??

Dormido com Zach
e depois abortado?

Ter?amos que discutir
o que ? demonstr?vel.

Centro de Sa?de Lake Drive.
Fui l? em 18 de Maio.

- Isso dificulta seu trabalho?
- Escuta.

N?o, Sr. Gold. Cansei de ouvir.
Pe?a para Zach me ligar.

Gosto do Zach.

N?o quero dificultar
a vida dele.

Quero facilitar.

18 de Maio.

Pensando bem,
n?o estava com barriga,

o que significa uma concep??o
em Mar?o ou Abril.

Foi quando dormiu com Sr. Hock,
o seu tutor do col?gio.

Sim. Terr?vel, n?o ??

Eu investigo meus oponentes.

Pena que n?o tem
recursos para fazer o mesmo.

Ent?o...

Quando perguntarem
se dormiu com Zach,

o que voc? diz?

? muito f?cil.

Sei, devido ao seu hist?rico,
que a palavra deve ser nova,

mas voc? diz que n?o.

Vamos tentar.

N?o.

Bom.
Sempre ador?vel, Becca.

- Oi.
- O que foi?

S? vim dizer "oi".

Kalinda, porque n?o...

Quero falar com voc?,
mas vou sair.

Voc? est? sendo investigada.

- O qu??
- Childs.

Est? indo bem demais.

N?o vai ser
uma investiga??o s?ria,

porque n?o tenho
feito nada de errado.

Muitas pessoas dizem
as coisas para voc?.

Sim, amigos.

Eles v?o se tornar escassos.

Voc? tamb?m?

O que voc?s est?o
fazendo com Bishop?

Pensei que Will e Diane
tinham se afastado dele.

Sim, ? verdade.

A defesa do Church?
N?o ? s? pro bono, n?o ??

N?o se coloca dois
investigadores em um pro bono.

Eu n?o sei.

Sabe o que acho?

Acho que est?o fazendo
isso pelo Bishop.

- Bishop?
- Sim.

Achei que est?vamos fora
desse neg?cio de traficantes.

Ele perdeu sua representa??o
anterior, e acho que isso ?

muito lucrativo.

Voc? j? se sentiu como se
estiv?ssemos no lado errado?

O tempo inteiro.

- Talvez n?o seja ruim.
- S?o 44 s?cios.

Precisamos de 23
para tirar o Bond.

- Ele tem 22 votos certos.
- N?o, 28.

- Como voc? sabe?
- O pessoal dele,

mais o pessoal do Lit?gios
que irritamos.

24 talvez.

E pode n?o ser t?o certo assim

se souberem que Bond est?
trabalhando com um traficante.

Pode ser que estejam certos.
? a nova economia.

? disso que se trata a defesa
do Joey Church, certo?

Representamos Church pra ganhar
moral com Bishop.

?, defendemos um capacho
do Bishop e nos beneficiamos.

Manobra esperta.
Traz um influxo r?pido.

Precisamos come?ar a articular
os votos agora.

N?o podemos ser vistos juntos.
Vai parecer suspeito.

- Sim, falo com voc? mais tarde.
- ? dinheiro,

m?os, n?o punhos!
No que estava pensando?

Pode fazer melhor.
Fa?a!

N?o se preocupe.

Uma guerrinha interna cria
uma competi??o saud?vel.

Sei disso por experi?ncia
pr?pria.

Me mostre resultados e,
eu fico feliz.

Andrew, minha bunda est?
congelando aqui.

Tudo bem, desculpe.
O que encontrou?

Joey Church.

Pai bom e respeit?vel.
Respeit?vel traficante.

Nenhum liga??o aparente
com o Sr. Bishop.

Nunca trabalhou pra ele.
Nunca comprou nada dele.

Est?o em c?rculos diferentes.

N?o estou vendo coisa boa aqui.

Vai devagar!

Voc? vai parar?

Temos crian?as na vizinhan?a!

- Ent?o, se for dirigir...
- V? se danar.

J? ouviu falar do time juvenil
de Northbrook?

Voc? est? falando conosco?

Northbrook,
liga infantil de futebol?

Nunca ouvi falar disso,
mas deve existir.

Tr?s Sapos. Futebol infantil.
Em 2006.

N?o foi um bom ano para eles.
Perderam 5, ganharam 3.

Olha quem ? o t?cnico.

- ? o Joey Church.
- ? o seguinte... Ei, Brian.

Tenho um ve?culo com algumas
multas. Um Lexus cinza, 2009.

Placa ? 9 Texas Howard 2304.

N?o, precisa ser apreendido.
N?o ?? Obrigado.

Nunca quero te ter como inimigo.

Estava olhando para essa foto
e percebi...

O patrocinador.
Lavanderia Fast & Elegant.

- Bishop.
- Sim.

Um dos neg?cios leg?timos dele.

Antes de Church ser preso,

ele era t?cnico do time
do seu filho

e pediu patroc?nio
para o Bishop.

Podemos mostrar que eles
se conheciam.

- Tem certeza?
- At? onde sabemos, sim.

Church era aliado do Bishop.

Podemos entreg?-lo.

Faz?-lo testemunhar
contra Bishop.

Ou faz?-lo entregar
um tenente.

Trabalharemos no topo
da pir?mide.

S? para ser clara.

Constru?mos um caso s?lido
contra Church.

Sim, mas o Church ? um peixe
pequeno. Bishop ? peixe grande.

Um peixe grande que voc? est?
tentando pegar h? 5 anos.

- Temos uma nova vida
- Destruindo nosso caso?

- N?o, invertendo o caso.
- J? inverteram milhares,

e onde voc? est??

- Vamos conversar sobre isso.
- Senhor...

voc? tem o corte
de processos chegando.

Podemos pegar o Church.
Voc? n?o pode pegar o Bishop.

Me d? um minuto.
Voc? tamb?m, s? um minuto.

Preciso que fale com os
investigadores sobre Kalinda.

- Por qu??
- Precisam confirmar

algumas coisas.

Temos recebido algumas
informa??es sobre ela.

- Que informa??es?
- Ela mentiu sob juramento.

Testemunhando com nome falso.

- N?o sei nada disso.
- Mas pode dar assist?ncia.

- Sim, tudo bem.
- ?timo.

Estou fazendo mudan?as
no or?amento.

Devo saber logo se posso
te promover.

- S? vim aqui para te dizer...
- O qu??

N?o houve aborto.

N?o com o Zach.

Como sabe?

Ela estava com outra pessoa.

Sinto muito por tudo isso.

Obrigada, Eli.
Obrigada.

E n?o tivemos nada a ver
com o folheto da Wendy.

Foi o nosso comit?.
N?o podemos control?-los.

Wendy ainda vai distribuir
os folhetos sobre Zach?

Se nosso comit? continuar,

- Wendy tamb?m vai?
- N?o.

Peter dispensou
nosso comit?.

Ele...?
Quando?

Hoje ? noite.

Ent?o isso significa que...

Estamos falidos.

Ele est? aqui para outra
intima??o. Caso diferente.

- Ele sabe de alguma coisa?
- N?o.

Sim, mais tarde.

- Quer alguma coisa?
- N?o, mas talvez voc? queira.

Sempre quero algo.

Joey Church.

Certo, estou ouvindo.

- E quem ? ele, Sr. Bishop?
- Aquele homem de bon??

- Sim, senhor.
- ? um s?cio meu da Calif?rnia.

- Sr. Harden.
- De novo, protesto.

Voc? ter? chance de interrogar,
Sra. Florrick,

Assim como o j?ri poder? julgar
a veracidade do Sr. Bishop.

Mal posso esperar.

Aquela foto que seu s?cio
est? segurando,

- ? a filha do Sr. Church?
- Sim.

E por que ele est? fazendo isso?

Eu o mandei ir l?.

O Sr. Church estava preocupado
se estavam tomando conta

da fam?lia dele enquanto
estava na pris?o.

Queria que ele soubesse
que isso estava sendo feito.

E quando voc? diz
"tomando conta"?

Meu Deus, me desculpe.
N?o, n?o "tomando conta".

Cuidada.

Ent?o n?o houve amea?a
ao Sr. Church

- como a defesa est? dizendo.
- N?o, de jeito nenhum.

Est?vamos tranquilizando-o
a respeito

da seguran?a e sa?de
de sua fam?lia.

Ent?o n?o havia press?o para
o Sr. Church cometer o crime

- que ele j? admitiu?
- Correto.

- Obrigado.
- Mais alguma coisa, advogado?

N?o senhora.
J? ? o bastante.

O que voc? fez?

Consegui uma condena??o
de homic?dio.

- Acabou comigo.
- Seu caso est? emperrado

h? anos.
Resolvi o meu em 1 semana.

Passando por cima das ordens.

Ir?amos usar Church
contra o Bishop.

Boa sorte.

N?o quero que saia daqui.

- N?o quero sair daqui.
- Gostaria de fazer uma oferta.

Gostaria disso.

Kalinda?

- Canad?, ent?o?
- Perd?o?

Fui um idiota. Estava
procurando na costa oeste.

- N?o me pergunte por qu?.
- Desculpe, o que voc? quer?

Leela Tahiri.

Morreu em um inc?ndio
em Toronto, 8 anos atr?s.

O corpo nunca foi encontrado.

Parece que tinha
problemas com a lei.

Estou tentando entender
os detalhes.

- Essa sou eu?
- ? o meu palpite.

Estou errado?

Acho que vai ter
que descobrir sozinho.

Como est??

Bem.

Eu te amo.

Eu sei.

WEB-DL: H?GOt@